Amazon_Manaus_forest

Fragmentação florestal acelera risco de extinção de fauna autóctone

A fragmentação das áreas florestais reduz a biodiversidade. Esta é a conclusão de um estudo realizado por uma equipa internacional de cientistas, que observaram que a redução de grandes áreas de floresta a pequenos retalhos, devido à exploração agrícola e outras utilizações não florestais, coloca em maior risco de extinção a fauna autóctone.

Luke Gibson, da Universidade Nacional de Singapura, e colegas, chegaram à conclusão que as espécies de fauna autóctone não sobrevivem tempo suficiente para serem criados corredores de ligação entre essas “ilhas” de floresta, e assim preservar as populações.

No estudo, os cientistas utilizaram como laboratório natural o reservatório hidroeléctrico de água de Chiew Larn, cuja inundação em finais dos anos 1980 deu origem a mais de 100 ilhas de floresta tropical. Por duas vezes, realizaram um inventário da fauna em 16 desses fragmentos florestais.

Puderam assim constatar (…) que nos fragmentos com menos de 10 hectares todos os pequenos mamíferos estavam extintos passados cinco anos – e que, nos fragmentos com 10 a 56 hectares, o mesmo acontecera ao fim de 25 anos.

Este estudo, publicado na revista Science, destaca ainda o aumento de um rato invasor nas áreas afectadas:

Six of 12 species present in the early 1990s, including the pencil-tailed tree mouse and the red spiny rat, have apparently disappeared. Five other species have declined dramatically. For example, the 1993 survey turned up 47 common tree shrews, but only one was found in 2013. “We documented the near-complete extinction of an entire group of animals,” Gibson says.

In contrast, Malayan field rat numbers exploded, from 77 in 1992 to 289 in 2013. This rat is not normally found in the region’s undisturbed forests but likely migrated to the islands from villages and agricultural areas after inundation. It now dominates the islands but is rare in the intact forests of the nearby mainland.

In the absence of other obvious causes, the researchers blame the loss of species on fragmentation and the impact of the invasive rat.(…)

“This study makes a valuable contribution in quantifying how fast the extinctions take place—very fast in this case,” says Ilkka Hanski, an ecologist at the University of Helsinki. But he notes that the study does not tease out whether the fragmentation or the rat invasion had a greater impact.

A redução das áreas dos habitats de floresta a pequenas manchas, separadas por terrenos perturbados, provocou um declínio muito acelerado na sua biodiversidade. No entanto, esta parece ser a norma na exploração destes recursos naturais pelo Homem, em todo o planeta.

 

Fontes:
Fragmentação florestal acelera extinção de faunas autóctones, Publico.pt
Biodiversity in Forest Fragments Proves Precarious, Sciencemag.org

Foto:
Phil P Harris, Wikimedia

Etiquetas:, , , , , ,