cut mapa2

Mapa de Avistamentos

O mapa de avistamentos disponibilizado é uma plataforma de ciência participativa que pretende estimular e valorizar a participação ativa do público na recolha de informação sobre a distribuição de plantas invasoras em Portugal.

Com esta plataforma procura-se, por um lado, sensibilizar o público sobre a temática das invasões biológicas e, por outro, aumentar o conhecimento atual da distribuição das referidas espécies. Este mapeamento é essencial como ferramenta de gestão e como base para estudos científicos.

O objetivo não é criar um “mapa de alertas”; esse tipo de ferramenta implicaria uma ação posterior a cada alerta para controlar os focos de invasão reportados, não tendo a equipa deste projecto capacidade logística para a pôr em prática. No entanto, quando uma estratégia de Deteção Precoce e Resposta Rápida for implementada este mapa será uma ajuda valiosa.


O mapa de avistamentos no site apresenta apenas os últimos 500 avistamentos validados
. Para ver todos os avistamentos validados, visitem o mapa que fizemos com a tecnologia Google Fusion.

A contribuição para o mapeamento pode ser feita submetendo registos de localização das espécies através de:

– aplicação para dispositivos Android, disponível para download (aplicação para dispositivos iOS em desenvolvimento);

– submissão online. Para ajudar na recolha de informação no terreno podem usar o formulário (PDF) que disponibilizamos.

Cada utilizador registado tem uma conta pessoal, pelo que, depois de submeter os avistamentos, pode consultá-los, ou alterá-los antes de serem validados.

Os avistamentos registados serão visíveis no mapa após terem sido validados pela equipa técnica.

Para mais informações ou esclarecerem dúvidas sobre o funcionamento dos mapas ou da aplicação, visitem a nossa página de Perguntas Frequentes (FAQ).

Etiquetas:, , ,

    Comments

    1. Penso de que as JUNTAS de freguesia e as Camaras Municipais,deveriam andar mais em cima destas plantas chamadas de Penachos,em especial junto de zonas residêncais, como existem aos milhares junto da Alameda conde de Samodães-Mafamude-V.N. de Gaia.Distrito do Porto estou farto de reclamar junto destas entidades as quais prometeram limpar tudo,mas passou as eleições e continua tudo na mesma.

    2. Caro Francisco Sousa,

      Ao contrário de outras espécies invasoras, os penachos (“Cortaderia selloana”) não são ainda considerados uma espécie invasora perante a legislação em vigor (Decreto-Lei nº 565/99), pelo que o seu controlo e remoção tem que passar pela sensibilização das entidades envolvidas, tendo em conta os prejuízos que causam e o evidente comportamento invasor em muitas regiões do território. Sugerimos que entre em contacto com o serviço SOS ambiente e território – 808 200 520 (ou online http://www.gnr.pt/default.asp?do=5r20n/EF.qr070pvn5/s14z_5r20n).

      Adicionalmente, pode registar-se na nossa base de dados e registar a área que refere no nosso mapa. Mais acima tem um vídeo explicativo de como o pode fazer. Se precisar de algum esclarecimento, escreva-nos para invader@uc.pt. Obrigada!