oxalis video

Video: Invasões biológicas – o caso de estudo da azeda

Uma equipa de investigadores do Centro de Ecologia Funcional de Universidade de Coimbra, apresentou no passado dia 21 no Museu Botânico, em Coimbra, um vídeo que resume os principais resultados de um projecto de investigação com azedas (Oxalis pes-caprae).  O vídeo explica também, de forma simples, o processo de invasão biológica. Este projecto foi realizado em parceria com investigadores da Universidade de Vigo, da equipa Divulgare.

A azeda é originária da África do Sul e comporta-se como invasora em vários ecossistemas de clima mediterrânico do planeta, incluindo em Portugal.

Falámos com João Loureiro, um dos investigadores portugueses envolvidos , para nos explicar a importância deste projecto.

Quais são os objectivos deste vídeo, tendo em conta que se trata de um projecto de investigação?

Os objectivos deste vídeo são mostrar de uma forma simples (dentro da complexidade do tema) e divertida os resultados principais deste projecto de investigação. Achamos que é uma forma diferente de comunicar ciência e de cativar a atenção de novos estudantes, e ao mesmo tempo, com a devida explicação, fazer chegar a mensagem ao público em geral.

Porquê as azedas?

Oxalis pes-caprae, sendo uma planta invasora, permite estudar as alterações que estão a ocorrer num cenário completamente novo, em comparação com os processos que ocorrem na área nativa, isto é, permite estudar fenómenos de evolução, em particular no seu sistema de reprodução sexual, que estão a ocorrer na escala contemporânea.

Que mensagem é mais difícil de transmitir ao público?

O mais difícil é conseguir explicar a complexidade morfológica e funcional da flor de Oxalis pes-caprae, uma planta que as pessoas estão habituadas a ver pelos campos fora, mas que porventura nunca reparam com a devida atenção. Esta planta tem três morfologias diferentes e complementares, que só se reproduzem quando pelo menos duas estão presentes, de forma a promover a fecundação cruzada e assim garantir uma maior variabilidade genética.

Vejam o vídeo, partilhem-no, e ajudem-nos a mapear Oxalis pes-caprae.

Causas e consequências das invasões biológicas: O caso de estudo da Azeda (Oxalis pes-caprae) from Divulgare on Vimeo.

Etiquetas:, , ,

    Comments

    1. Júlio Reis
      Novembro 28th

      Vídeo interessante. Então e a reprodução vegetativa?

    2. A reprodução vegetativa contínua a ser uma forma de propagação muito eficaz.

    3. Olinda Maria
      Novembro 25th

      Isto é obsessão pelo control… Toda a minha vida vi campos de azedas magníficos e inofensivos…podiam centrar os estudos no combate à muita fome que é um flagelo real…por acaso nós humanos não fomos nómadas!?

      • Cara Olinda,
        Creio que o objectivo nunca será controlar todas as azedas. Mas acreditamos que é importante arranjar soluções para a controlar onde causa problemas (por exemplo, nas situações em que infesta campos agrícolas e os agricultores precisam de as controlar para conseguir produzir os tão necessários alimentos…).

    Deixar uma resposta