Login | |

Oxalis pes-caprae

Erva vivaz com bolbilhos, de caules azedos, folhas de “trevo” e flores amarelas.

Nome científicoOxalis pes-caprae L.

Nomes vulgares: azedas, erva-pata, erva-canária, trevo-azedo, azeda, trevo-amarelo, erva-mijona.

FamíliaOxalidaceae

Estatuto em Portugal: espécie invasora (listada no Decreto-Lei nº 92/2019, de 10 julho)

Sinonímia: Acetosella abyssinica (Walp.) Kuntze; Acetosella cernua (Thunb.) Kuntze; Acetosella ehrenbergii Kuntze; Bolboxalis cernua (Thunb.) Small; Bulboxalis cernua (Thunb.) Small; Jonoxalis pes-caprae (L.) Small; Oxalis abyssinica Walp.; Oxalis biflora Burm.fil.; Oxalis burmanni Jacq.; Oxalis caprina Thunb.; Oxalis cernua Thunb.; Oxalis cernua f. microphylla Batt.; Oxalis cernua subsp. microphylla Batt.; Oxalis cernua var. namaquana Sond.; Oxalis cernua var. pleniflora Lowe; Oxalis concinna Salisb.; Oxalis dentata Eckl. & Zeyh.; Oxalis ehrenbergii Schltdl.; Oxalis erecta Savign.; Oxalis grandiflora Arechav.; Oxalis kuibisensis R.Knuth; Oxalis libyca Viv.; Oxalis lybica Willk. & Lange; Oxalis macrophylla Hornem.; Oxalis mairei Knuth; Oxalis mairei Knuth ex Engl.; Oxalis nutans Hill; Oxalis pes-caprae f. pleniflora (Lowe) Sunding; Oxalis pes-caprae var. pes-caprae; Oxalis pes-caprae var. pleniflora (Lowe) Blanco-Dios; Oxalis pleniflora Lanfr.; Oxalis rippae Mattei

 

Nível de risco: 24 | Valor obtido de acordo com um protocolo adaptado do Australian Weed Risk Assessment (Pheloung et al. 1999), por Morais et al. (2017), segundo o qual valores acima de 13 significam que a espécie tem risco de ter comportamento invasor no território Português | Actualizado em 30/09/2017.

Data de atualização: 01/06/2020

Ajude-nos a mapear esta espécie na nossa plataforma de ciência cidadã.

Avistamentos actuais da espécie: 
Família: 
Porte: 

Como reconhecer

Erva vivaz de até 40 cm, sem caules aéreos, com um bolbo profundamente enterrado emitindo um caule anualascendente, subterrâneo, provido de bolbilhos e duma roseta foliar à superfície do solo.

Folhas: com pecíolos longos, de até 17 cm, finos, de sabor azedo, com 3 folíolos com 10-22 X 19-41 mm, obcordiformes.

Flores: amarelas, por vezes dobradas, com 13-26 mm, reunidas em inflorescências semelhantes a umbelas com 4-19 flores.

Frutoscápsulas ovoides que raramente amadurecem.

Floração: janeiro a abril.

 

Espécies semelhantes

Oxalis corniculata L. (trevo-azedo-bastardo), também de flor amarela, tem alguma semelhança mas tem caules aéreos bem desenvolvidos pelo que não se confunde.

 

Características que facilitam a invasão

Reproduz-se por via vegetativa, por bolbilhos. Oxalis pes-caprae produz muitos bolbilhos que facilmente se fragmentam e funcionam como o principal meio de dispersão.

Aumenta a sua distribuição rapidamente originando extensas áreas onde domina.

Área de distribuição nativa

África do Sul (Região do Cabo).

 

Distribuição em Portugal

Portugal continental (todas as províncias), arquipélago dos Açores (todas as ilhas), arquipélago da Madeira (ilhas da Madeira e Porto Santo).

Para verificar localizações mais detalhadas desta espécie, verifique o mapa interactivo online. Este mapa ainda está incompleto – precisamos da sua ajuda! Contribua submetendo registos de localização da espécie onde a conhecer.

 

Áreas geográficas onde há registo da presença de Oxalis pes-caprae

Outros locais onde a espécie é invasora

Europa Mediterrânica, oeste dos EUA (Califórnia), Ásia, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália, América do Sul.

 

Razão da introdução

Provavelmente para fins ornamentais.

 

Ambientes preferenciais de invasão

Terrenos cultivados e sítios descampados, sobretudo em solos argilosos.

Não suporta bem as geadas e temperaturas baixas, acabando por secar a parte aérea nessas condi